Compartilhar é poder

Há dois meses, duas cenas ficaram marcadas na minha mente. Cenas de violência que viralizaram na internet, para qualquer um ver, mas que se não fossem as redes sociais, talvez não teriam chegado ao nosso conhecimento.

Passei dias martelando os absurdos na minha cabeça e saí perguntando para quem estava ao meu redor:

“O que poderíamos fazer para mudar esse louco-pirado-mundo??”

Todas as respostas foram:

“Mudar o mundo realmente é complicado, mas podemos mudar ao nosso redor”.

Se cada um fizer o bem no espaço que vive, no bairro, família, cidade, trabalho, se cada um plantar a semente do bem, não só ter ideias, mas sim executá-las e criar junto à comunidade maneiras, dispositivos para melhorar a convivência e, principalmente, tornar nosso habitat mais harmonioso possível, aí sim a transformação do mundo seria mais palpável e sentida e percebida e ressoada.

“Porque as pessoas loucas o bastante para acreditar que podem mudar o mundo, são as que mudam”. (Jack Kerouac)

Em meio a esses pensamentos e trocas de conhecimentos, fui selecionada para participar do TEDxFloripa e BOOM! Não poderia ser mais que em tempo!

Tive a comprovação de que este é mesmo O caminho e MELHOR já está acontecendo. Tem gente muito (!!!) boa, inspirada e inspiradora, que está aí mudando, fazendo o possível para transformar o considerado “normal”.

Quantas ideias, quantos insights, quantas emoções sentidas. <3

Foi uma tarde recheada de 15 palestras, naquele esquema do TED, discursos memorizados e rápidos, objetivos, para passar só o que realmente importa.

Por conselho dos organizadores, mantive meu celular na bolsa mas papel e caneta nas mãos, qualquer distração era uma chance de perder o fio da meada, foquei como nunca, impossível não transcender com tanto papo fera.

A todo momento, apareciam frases nas telas espalhadas pelo espaço, frases motivadoras intimidadoras, do tipo “converse com a pessoa ao seu lado”. Segui novamente o conselho e conheci três mulheres cheias de vontade de mudar também.

Apesar de ter escrito um pouco sobre cada um dos palestrantes durante o #TEDxFloripa, vou listar os meus favoritos se você está afim de ter acesso a uma enxurrada de inovações, venha comigo:


Ana Carla Fonseca

Ana Carla Fonseca. Foto: Internet

Ana é especialista em trazer a criatividade ao espaço urbano, diretora da Garimpo de Soluções ela chamou a atenção para a cidade, mostrou que ideias simples como intervenções artísticas podem mudar conceitos,  ‘destabulizar’ e reintegrar anônimos das ruas em cidadãos.

“A cidade é um lugar incrível para criar.”

Ela compartilhou uma ideia muito interessante – o mapa das sensações – um aplicativo que aponta os sentimentos aflorados em cada esquina de São Paulo.

Vai do olfato, passa pelo tato e chega ao paladar, levando ao usuário guias diferenciados como o mapa dos cheiros, que mostra o odor de cada esquina da cidade.

Ana também mostrou como a criatividade pode ajudar a organizar o espaço urbano, como o Unseen tours , um programa de Londres que capacita e contrata mendigos como guias da cidade.

E finalizou falando da Caçambaria – uma empresa de economia criativa, daqui do Brasil, que reutiliza móveis descartados em áreas públicas e os transformam em novas mobílias.


Diego  Calegari

diego calegare

Diego vem de uma família de educadores, muito simpático e perceptivelmente humilde, o administrador é fundador do Politize. Um portal de comunicação sobre política, criado para informar o cidadão de um jeito simples e o tornar mais consciente.

Ele contou uma história emocionante sobre uma professora do Pará que implantou um sistema bastante criativo na classe de uma escola estadual na cidade de Santarem: A Prefeitura Mirim.

Alunos interessados se candidatam a prefeito, vereador e recebem votos dos colegas. O objetivo é fazer reuniões, organizar pensamentos, listar o que precisa ser mudado na escola e levar os pontos ao diretor.

Um dos piores alunos da sala, que tinha muita dificuldade em matemática, se candidatou e foi eleito prefeito. Pronto! Foi o pontapé para, hoje, ele ter uma medalha de ouro pendurada no quarto conquistada em uma competição nacional de matemática.

“O garoto se transformou. Era possível ver nos olhos dele que, depois daquela oportunidade, ele começava a traçar verdadeiros objetivos para sua vida”

A “brincadeira” deu tão certo que um programa mais participativo foi criado junto a prefeitura de Santarem. Os alunos eleitos tem um contato real com a política.

Que belo jeito de ensinar a cidadania! 🙂


Jorge Henrique

jorge henrique

Jorge começou a palestra contando uma história linda. Seus tios que não podiam ter filhos biológicos, queriam adotar uma criança e preferiam que fosse um bebê mais fácil de se adaptar e etc.

Jorge ficou com isso na cabeça e fez uma pesquisa sobre adoção no Brasil, descobriu que havia mais brasileiros querendo adotar do que crianças para serem adotadas.

Uma diferença gigantesca tipo 30 mil adultos para 5 mil menores sem pais e que a maioria eram crianças maiores de 5 anos.

Daí nasceu o Inforpeople, um site que busca causas sociais relevantes, baseadas em dados e que são levadas ao público para que se tornem uma realidade, como o apadrinhamento infantil e a adoção.

“Incentivei  meus tios a adotarem uma criança mais velha. Hoje tenho um primo de 9 anos. Muito amado!”


Juliana de Faria

juliana

Uma das melhores palestras, na minha opinião, Juliana é daquelas mulheres ativistas feministas se não sabe sobre o feminismo, não julgue, que tem a coragem de colocar a boca no trombone e dizer:

“OPAA! Aqui não! Aqui você tem que respeitar!”

Fundadora do portal Think Olga, onde só tem discussão sobre a feminilidade nos dias de hoje, Juliana tenta transformar as desigualdades em equidades, o patriarcado no completo e livre arbítrio que, nós mulheres, temos direito.

A campanha Chega de Fiu Fiu é uma das mais famosas, pelo simples fato de estarmos cansadas de sofrer assédio sexual nas ruas, no elevador, em shows, na sala de aula, no trabalho.

A Ju mostrou dados que eu já imaginava tirados de uma pesquisa feita com 8 mil brasileiras, quase 90% delas responderam já ter sido vítima da “mão boba”.

80 e poucos por cento já trocaram de roupa por achar que poderiam ser alvos de assédio. Sim, faço parte dessa porcentagem…

Ela finalizou dando uma dica para os jornalistas: Entreviste Uma Mulher – uma lista só de mulheres especialistas em algum assunto disponível gratuitamente, para que mais vozes femininas sejam ouvidas e lidas pela população, uma ótima inserção.

Fiquem ligados que vai sair um documentário sobre o chega de fiu fiu. Ficaremos de olho! 😉


Ismael, Karina e Estopa

ismael-estopa-03

Um trio aventureiro e muito simpático com uma história que saiu no Hypeness. Juntos desceram de Floripa ao Uruguai de bike e na garupa, a cadelinha companheira chamada Estopa, uma criaturinha dócil que ficou quietinha no palco, já imaginei que não deve ter dado trabalho nenhum durante a viagem.

Um casal que, com o dinheiro contado, acampou em lugares lindos, viram os mais belos nascer-do-sol, conheceu gente muito simpática pelo caminho e sentiu na pele, o que é realmente necessário ou não para viver.

Eles me instigaram a fazer uma “loucura” parecida, já está anotado no meu caderno, pode ser que vire um objetivo para algum ano adiante.

Dá uma olhada na websérie que eles fizeram durante a viagem. Muitos vídeos fofos! <3


Rodrigo Rizo

rodrigo rizzo

Grafite é a arte urbana mais bonita e intrigante que eu acho. Aqui em Floripa, a cena do grafite é forte, é fácil passar por um muro pintado por artistas das cidades, isso deixa a ilha ainda mais colorida e mágica.

Rizo é um desses caras, sua marca é o lagarto, daqueles de bater o olho e saber que é de autoria dele.

11125453_10205814439173818_2491846742140782635_o

“O poder de transformação do lagarto, da mutação de cor para se proteger, para se  adaptar ao ambiente, me inspiraram a desenhá-lo”

11402497_10205950085724897_226563070198366360_o


Sônia T. Felipe

sonia

Sônia é pós-mestranda de Filosofia, especializada em direitos dos animais. Causou uma reviravolta em mim quando disse que todas as proteínas animalescas ingeridas por nós vem, na verdade, dos grãos e plantas dados aos bois, vacas, galinhas.

Absorvemos apenas 4 gramas proteicas em 100 gramas de bife, por exemplo. Ou seja, precisamos comer apenas plantas, verduras e grãos para viver. Choquei! Sônia é vegana, claro.

“Frutos do mar não dão em árvores,  peixes também não. Todos os animais sentem a mesma dor e desespero que nós, com a diferença que eles não conseguem expressar em palavras”

Como em todas as palestras, Sônia deu uma pitada fascinante com uma história para pensar. Uma mãe levou a filha até Gandhi e pediu para que pedisse para a garota parar de comer açúcar.

Gandhi perguntou por quê a mãe não falava isso para a filha. Ela respondeu que a criança não lhe obedecia. Mahatma pediu para que as duas voltassem uma semana depois. Sete dias se passaram e a dupla retornou.

Gandhi então disse à garota: “Pare de comer açúcar”. A mãe intrigada perguntou por que ele pediu para que voltassem uma semana depois. “Há uma semana, eu comia açúcar”, respondeu o mestre. <3

Animastê!

E para finalizar, uma frase do músico François Muleka, um paulista morador da ilha que toca um voz-violão maravilhoso! Anotei muitas frases, mas essa foi a que mais me marcou:

“Pode ser que o amor me mate a queima-roupa ou me mate a conta-gotas”

Lindíssimo!


Aff sai de lá com um turbilhão na cabeça. Querendo começar uma transformação AGORA! E todas as três pessoas que conheci me disseram a mesma coisa. Além de ter sido opinião unânime que o evento caiu em um bom momento da vida.

Ele veio a calhar e ele será um pontapé para mudanças que virão.  Que feliz! O bom do TED é que eles disponibilizam todas palestras e fotos para todo o mundo. Ideias boas tem que ser compartilhadas mesmo! 🙂

Espero que tenham gostado desse tour por ideias criativas e que tenha despertado desejos iguais a essas pessoas: TRANSFORMAR O MUNDO PARA MELHOR!

Abraços. Até mais!